Baby Bum: programe-se

Baby Bum: programe-se

De 4 a 7 de novembro acontece em São Paulo uma das mais aguardadas e prestigiadas feiras do universo infantil: o Baby Bum. Sempre trazendo novas confecções, ideias de decoração, presente e cada vez mais serviços. Este ano estarão lá a Amarelo, a Madame Trapo, a Quintal, a You & Me, a adorável  HibouParangolé e muito mais. Algumas marcas como a Casa Ilustrada e a Holly Dolls estarão com alguns produtos presentes em stands de outras marcas, decorando e enfeitando.  Prepare-se!

Kickbee: tuitando do útero

Kickbee: tuitando do útero

Este produtinho é bem emblemático do momento em que vivemos. O Kickbee é uma cinta com sensores que captam o movimento do bebê e tuítam os chutinhos do bebê no útero para os familiares mais próximos. O argumento é ter uma gestação mais participativa. E com isso o bebê ganha uma continha no Twitter antes mesmo de nascer. Para quem se interessou e quer saber como funciona, aqui tem mais infos (em inglês).

Mommy Measure: registre a gestação

Mommy Measure: registre a gestação

belly_measure

Aquelas réguas que medem o crescimento das crianças são bastante comuns mas este tipo de régua eu nunca tinha visto. É uma cintinha que você vai marcando e acompanhando o crescimento da barriga ao longo da gestação. Pode ser uma recordação interessante dos 9 meses. Vende aqui por US$ 14.99 (mais frete) e vem em 3 cores (azul, rosa e verde).

Parto em casa

Parto em casa

miolo_home.jpgA revista TPM do mês de julho traz uma grande matéria sobre o parto em casa. O tema é bem interessante e elucida muitas questões que envolvem mitos e preconceito. Recomendo a leitura. Acessem através deste link.

Obs. na mesma edição tem o relato de viagem da Carla Campos a Uganda. Bem off-topic aqui no Coruja mas muito boa dica de leitura.  Confiram aqui.

Tatuagem temporária para grávidas

Tatuagem temporária para grávidas

pregtatoo.jpg(tks Bruno Altireri, via Drop Post)

Barriga de grávida é aquela coisa: tem quem queira disfarçar, tem quem queira mostrar, tem quem goste que toque, outras detestam. Então, nada melhor do que algumas instruções na embalagem do bebê para deixar tudo claro. Trata-se do Pregnancy Tatoo, bizarro artefato que indica coisas como tempo de gravidez,  “don’t touch my Tummy” ou “it’s a boy”. Mas o melhor é o “feel here” que indica qual o lugar com mais chances de sentir o baby. Clique na imagem para ampliar.

Cine Materna

Cine Materna

11.jpgVocê já ouviu falar nisso ? Trata-se de uma sessão de cinema especialmente dedicada a mães cinéfilas com seus bebês. O volume é mais baixo e há uma redução do ar condicionado para as projeções. A sessão não é exclusiva para mães (ainda) mas há muitas delas por lá. A idade dos filhos varia mas vai de 20 dias a 1 ano.

Organizado aqui em São Paulo, acontece todas as terças-feiras por volta de 13h45 no Cine Bristol, no Shopping Center 3, na Avenida Paulista. Depois, por volta das 16hs acontece um café e um bate papo no Starbucks no mesmo shopping.

Hoje, dia 17/6, o filme é “A Outra“. A consulta aos horários e a escolha dos filmes da semana são feitas por este blog.

– Leia mais aqui e aqui sobre este projeto, idealizado por Irene Nagashima.

Última palavra em ultrassom

Última palavra em ultrassom

1.jpgA tecnologia evoluiu muito nos últimos anos. Mas apesar de ser muito emocionante pelo fato de ver e ouvir o bebê, convenhamos que o ambiente de laboratório não ajuda.

Pensando nisso a Philips vem fazendo estudos para tornar mais gostosa e aconchegante esta experiência. E desenvolveu um protótipo bem interessante de sala de ultrassom, com uma parede com uma bolha acrílica, onde você vê projetada a imagem do bebê em 4D (clique ao lado na imagem para ampliar e visualizar melhor).

Veja mais na matéria do Washington Post e no site da Philips (sob o conceito “Celebrating Pregnancy”).
– Dica da Elisa Araujo

Soninha comenta “Mensageiras da Luz”

Soninha Francine comenta o documentário “Mensageiras da Luz”, de Evaldo Mocarzel, que mostra a experiência de parteiras que auxiliam mulheres que vivem na região da Amazônia. Soninha diz que a produção a emocionou ao ter conseguido registrar um parto natural feito por duas parteiras, onde uma mulher obesa deu a luz, sem auxílio médico e de medicamentos, a uma criança que estava com o cordão umbilical preso no pescoço.

“Um desespero total. Aquela mulher não estava se aguentando de dor. A uma certa altura ela começa a dizer “eu vou morrer”, o bebezinho também parece que começa a ficar sufocado e as parteiras se desdobram”, relata.

 

[audio:http://media.folha.uol.com.br/equilibrio/2008/05/16/soninha-parto_normal_alternativa.mp3]